YouTube retira do ar 14 lives de Bolsonaro por violar política de informação médica correta sobre Covid-19

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta quinta-feira (22). O YouTube retirou da sua plataforma 15 vídeos postados pelo presidente Bolsonaro em seu perfil na rede social, em uma ação mais firme contra o chefe do executivo por violar regras da plataforma. O conteúdo removido foi publicado entre o ano passado e este ano e foram retirados por exibirem conteúdo falso e violarem a política de informações médicas corretas sobre a Covid 19.

Entre os vídeos removidos pelo YouTube está uma transmissão que o presidente fez em agosto de 2020, com o ex-ministro Eduardo Pazuello, e outra no dia 27 do mesmo mês, com Damares Alves. Outro vídeo removido nesta ação, pela plataforma, e repostado por Bolsonaro na época, é uma entrevista para a CNN concedida pela médica Nise Yamaguchi, em que recomenda cloroquina e invermectina.

“Após análise cuidadosa, removemos vídeos do canal Jair Bolsonaro por violar nossas políticas de informações médicas incorretas sobre a Covid-19. Nossas regras não permitem conteúdo que afirma que hidroxicloroquina e/ou ivermectina são eficazes para tratar ou prevenir Covid-19; garante que há uma cura para a doença; ou assegura que as máscaras não funcionam para evitar a propagação do vírus”, afirmou o YouTube por meio de comunicado.

A ação tomada pela plataforma é considerada grave uma vez que gera ao usuário o alerta de que violou regras de uso e em caso de reincidência o presidente Bolsonaro poderá sofre um Strike e ficar uma semana sem usar o canal. O presidente Bolsonaro já teve alguns vídeos removidos do seu canal no YouTube antes da nova política sobre informações médicas relacionadas à Covid-19, e portanto não se enquadram como penalização.

O YouTube trouxe um comunicado e disse que suas diretrizes “estão de acordo com a orientação das autoridades de saúde locais e globais”, e que as políticas internas foram mudadas para seguir essas orientações. “Aplicamos nossas políticas de forma consistente em toda a plataforma, independentemente de quem seja o produtor de conteúdo ou de visão política”, explicou o comunicado.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Vídeos no YouTube de músicas com DJ Ivis são removidos e têm comentários desativados após agressão contra Pamella

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta sexta-feira (16). Artistas que tinham projetos musicais em parceria com o DJ Ivis estão removendo os vídeos do YouTube e desativando os comentários após a divulgação das imagens em que o compositor aparece agredindo a ex-mulher Pamella Holanda.

Iverson de Souza Araújo, DJ Ivis, foi preso preventivamente na última quarta-feira em um condomínio de luxo na cidade de Aquiraz, região metropolitana de Fortaleza, após a ex-mulher publicar nesse último domingo (11), o vídeo em que aparece sendo agredida na frente da filha e de outras duas pessoas.

Tarcísio do Acordeon, que tinha parceria com DJ Ivis, retirou do seu canal oficial o clipe de ‘Esquema Preferido’, uma das músicas mais famosas com participação do compositor.

Já o DJ Guuga deixou o vídeo de ‘Volta Bebê, Volta Neném’, que tem mais de 185 milhões de visualizações e o nome do DJ Ivis no título, mas resolveu desativar os comentários, após o vídeo postado por Pamella.

O clipe da música ‘Oi Sumida’, no YouTube, que conta com mais de 140 mil visualizações em apenas um mês de lançamento foi deixado na plataforma pelo cantor Vitor Fernandes, porém os comentários do vídeo foram desativados.

Após a divulgação das imagens de agressão, os vídeos publicados no canal oficial do YouTube de DJ Ivis estão desativados. Não foi encontrado em nenhum dos canais oficiais dos artistas mencionados a música ‘Não pode se apaixonar’, em parceria com Xand Avião e MC Danny.

Da redação do Acontece na Bahia

 

Ver completo...