Justiça concede liberdade a fazendeiro acusado de ajudar Lázaro Barbosa e o obriga a usar tornozeleira eletrônica

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste sábado (17). Foi solto do presídio no qual estava preso em Águas Lindas de Goiás, nessa sexta-feira (16), o fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, 73 anos, acusado de ajudar o fugitivo Lázaro Barbosa em fuga pela mata. Elmi responde na justiça por posse de armas e favorecimento pessoal no caso de Lázaro Barbosa, que foi morto em confronto com a polícia no dia 28 de junho após 20 dias de fuga sendo procurado por ter assassinado uma família em Ceilândia.

Houve a determinação feita pela justiça, como condição para que Elmi tivesse a prisão revogada, a obrigação do uso da tornozeleira eletrônica, além da observância de outras medidas estabelecidas pela justiça, como não sair de casa durante a noite. Elmi foi preso no dia 24 de junho. O caseiro que prestava serviços na propriedade, disse a polícia que Elmi estava ajudando Lázaro com hospedagem e comida. O caseiro chegou a ser preso, porém o processo contra ele deve ser arquivado pela justiça.

Em posse do fazendeiro no momento da prisão, a polícia encontrou duas armas que foram apreendidas. Laudo posterior apontou que ambas não estavam disparando. De acordo com a força-tarefa, Elmi teria proibido os policiais de entrarem em sua propriedade, impedindo os trabalhos de busca ao fugitivo. A defesa do fazendeiro alegou que a prisão não era mais necessária diante da conclusão do inquérito e com o resultado do laudo que aponta que as armas apreendidas não disparavam. A defesa ainda alegou a idade avançada do réu e os problemas de saúde que enfrenta. A justiça acatou as alegações feitas pela defesa do fazendeiro.

Da redação do Acontece na Bahia

 

Ver completo...

PF diz que deputado Daniel Silveira tentou pular muro de residência para escapar de nova prisão

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta sexta-feira (25). De acordo com a Polícia Federal (PF), o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), tentou pular o muro de sua casa para escapar da polícia em razão de ter em seu desfavor um novo mandado de prisão expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), nessa quarta-feira (23). Os agentes federais confirmaram a versão que Daniel Silveira voltou para a residência quando encontrou um agente.

De acordo com informações, o deputado violou 36 vezes as regras de uso da tornozeleira eletrônica descumprindo determinação da justiça. Daniel Silveira foi preso em fevereiro deste ano em cumprimento a mandado de prisão expedido pelo ministro Alexandre de Morais por publicar vídeos defendendo o retorno do AI-5 e fazer ataques a ministros do STF.

O parlamentar defende que é um preso político segundo nota divulgada por seus advogados.“Seu caso já passou da hora de ser tratado nos organismos internacionais de defesa aos direitos humanos. Ele é um preso político e assim deve ser tratado”, alega o advogado André Rios que defende o parlamentar.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...