‘Ainda não morri’, diz cantor que foi dado como morto por engano e obrigado a fazer reconhecimento do ‘próprio corpo’ em SP

Um caso inusitado aconteceu com um cantor de 40 anos que foi dado como morto, quando sequer deu entrada no Hospital Municipal de São Vicente, no litoral de São Paulo. Por mais estranho que pareça, a esposa de Paulinho Oliveira foi convocada ao hospital para reconhecer o corpo do marido, que teria supostamente falecido vítima de tuberculose.

Nas redes sociais do cantor foi compartilhado o caso incomum. Em uma série de vídeos, Paulo diz que está “muito vivo”, e que “não foi dessa vez”, apesar da burocracia que enfrentou para resolver a ‘sua morte’, que teve até declaração de óbito.

“Sempre fui um cara mais alegre, então, fiz stories em um tom mais engraçado. Mas, a história não tem graça nenhuma, foi algo bastante grave, porque poderia ter causado danos irreparáveis na minha família”, disse o cantor.

O cantor Paulo Eduardo de Oliveira disse que passeava com a esposa, quando ela recebeu uma ligação do Serviço Social do Hospital Municipal comunicando que ela precisava comparecer à unidade de Saúde com urgência. A esposa de Paulo foi ao hospital, enquanto o marido esperou no carro, na parte externa da unidade.

Uma assistente social contou a mulher que tinha uma notícia triste para ela: o marido dela tinha falecido de tuberculose, àquele que estava dentro de um carro no estacionamento do hospital.

É óbvio que a mulher negou a informação, e garantiu que o sistema estava errado. Interessante que até uma declaração de óbito foi feita. Enfim, a confusão foi desfeita após Paulo conversar com a equipe do hospital e contestar sua morte.

Paulo teve que reconhecer o corpo atribuído a si mesmo. “Eu decidi não entrar […], mas a médica entrou, tirou uma foto e me mostrou. Tive que ver e dizer que não era eu mesmo, ou algum parente”, disse o cantor
Paulo que afirma que está bem, e que não morreu. “Minha saúde está completamente bem. Um dia antes, até fiz show, tem tudo publicado”, contou. “Nunca tive nada, fui no Crei [Hospital Municipal] há mais de dois anos, faz muito tempo que não vou lá”.

Mais quem de fato morreu? Bom…, na verdade um homem em situação de rua, que foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no bairro Itararé e foi encaminhado ao Hospital Municipal, já com o nome de Paulo. O homem não estava com documentação pessoal para identificá-lo quando deu entrada no hospital, e o sistema teria complementado sua ficha médica com os dados do cantor. “Agora, ficou a piada. Ligam aqui e pedem para falar com o ‘finado’ Paulinho”, concluiu.

A Prefeitura de São Vicente emitiu uma nota por meio da Secretaria de Saúde (Sesau), e informou que, na manhã desse domingo (26), o Samu foi solicitado para socorrer uma pessoa em situação de rua. O resgate aconteceu às 9h24. A vítima se queixou de falta de ar, e sem qualquer documento pessoal, identificou-se à equipe como Paulo Eduardo dos Santos.

O paciente teve uma piora no estado de saúde e morreu à noite, por insuficiência respiratória causada por quadro de tuberculose, segundo exames realizados. Como é comum em um sistema informatizado, foi verificado que uma pessoa com o mesmo nome e idade já havia sido atendida naquela unidade de Saúde. Com dados mais precisos disponíveis, o hospital entrou em contato com um familiar pelo telefone indicado na ficha, solicitando comparecimento ao hospital, onde se constatou que de fato se tratava de um homônimo.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Após sair para comprar biquini que usaria em concurso, Miss teen desaparece e está sendo procurada pela polícia de SP

O desaparecimento de uma estudante de 17 anos, que saiu de sua casa na manhã dessa quinta-feira (2), para comprar um biquini em uma loja da cidade, está intrigando a Polícia Civil de São Paulo que investiga o caso.

Até o fechamento dessa matéria, a jovem Yasmin Pesinato Benedetti continuava desaparecida e não retornou para o apartamento onde mora com a família, na Barra Funda, na Zona Oeste. A polícia está analisando imagens de câmeras de monitoramento que mostram a jovem saindo do local.


A jovem não fez mais contato com a família e nem atendeu os telefonemas feitos em seu celular desde que iria de ônibus comprar roupa de banho na Lapa. Yasmin participaria de um novo concurso de beleza e em razão disso teria ido comprar biquini.

Neste sábado (4) e domingo (5), a jovem concorreria ao Miss Teen Global Beauty São Paulo. O concurso mobiliza garotas de 14 a 18 anos de idade, e é uma etapa estadual de beleza.

Os parentes de Yasmin divulgaram o seu desaparecimento nas redes sociais, em razão da falta de contato com a jovem. O sumiço da Miss também foi relatado à polícia.

O registro do caso foi feito como “desaparecimento de pessoa” no 23º Distrito Policial (DP), em Perdizes, na Zona Oeste, local onde Yasmin reside com os pais. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), a investigação ficará a cargo da 7º DP, Lapa, e contará com o apoio de equipe especializada da delegacia de desaparecidos do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).


A Polícia Civil tomará depoimentos de familiares e amigos de Yasmin. Estão sendo analisadas imagens de câmeras de monitoramento para saber os locais por onde Yasmin passou. Informações sobre o paradeiro de Yasmin podem ser direcionadas para o número 181 do Disque-Denúncia. Não é preciso se identificar. A denúncia será encaminhada para a investigação policial.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Pai de menino morto após afundar em piscina de escola em SP conta que filho falou que ‘ia para o céu’ pouco tempo antes do acidente

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste domingo (21). O menino de 9 anos que veio a óbito após afundar na piscina da escola onde estudava, em São Vicente, no litoral de São Paulo, teria dito durante um culto que estava “indo para o céu”, segundo relato do pai. A linha de investigação da Polícia Civil analisa a hipótese de Luigi ter sofrido um mal súbito.


“Luigi era um menino carinho, amoroso, muito afetuoso. A vida dele era abraçar todos, sem exceção”, disse o pai, o autônomo Rafael, que não quis que o sobrenome da família fosse divulgado. Segundo o pai do menino, que estudava em uma escola particular no Rio Branco, ele possuía déficit intelectual e tinha arritmia. “Constava na ficha da escola, inclusive que não podia fazer esforço físico”, contou.

O pai do menino contou que o momento difícil foi amenizado em razão de uma mensagem enviada por uma pessoa que frequenta a mesma igreja que eles.”No domingo [antes da morte], estivemos no culto […]. Ao término do santo culto, ele abraçou uma irmã e disse ‘dá um glória a Deus que eu estou indo para o céu”, contou. “Após receber a mensagem dessa irmã, Deus nos confortou grandemente”.

Testemunhas relataram à Polícia Militar que a criança estava dentro da piscina recreativa e de repente afundou. A escola particular fica localizada na Rua Antonio Riscale Husni, no Rio Branco e o caso foi registrado por volta de 15h30. A piscina da escola possui 70 centímetros de profundidade.
O menino foi resgatado da piscina por uma professora, passados alguns segundos do acidente. Os primeiros socorros foram feitos pelo Corpo de Bombeiros e em seguida o menino foi encaminhado para o Hospital Municipal de São Vicente, mas Luigi veio a óbito em seguida.

De acordo com o pai do menino, houve uma ligação da escola com a informação de que Luigi havia desmaiado e estava a caminho do hospital. Ao chegar ao hospital foram avisados do óbito do menino.”Imaginávamos que fosse do coração”, relembra.

O pai do menino disse que não houve aviso prévio que seria dia de piscina. “Não tem recado na agenda e, também, como não sabíamos, não foram enviadas roupas de banho”, contou. Ficaram sabendo do que aconteceu somente mais tarde. No registro de atendimento do Corpo de Bombeiros e no atestado de óbito constariam afogamento. A linha de investigação da Polícia Civil analisa se houve um mal súbito.


A Polícia Civil informou ao portal G1 que foram analisadas imagens do circuito interno de monitoramento da escola e havia 19 crianças no espaço recreativo escolar. A piscina, que estava sendo usada por alunos do 5º ano, estava sendo supervisionada por uma professora. Luigi era do 2º ano, segundo seu pai, e também estava na piscina. Nas imagens analisadas pela polícia, o menino estava pulando na piscina, foi até a borda, e inesperadamente afundou.

O menino foi retirado da água ainda com vida, segundo a polícia. Relato de uma testemunha em depoimento, aponta que na última semana a criança havia desmaiado. A polícia trabalha com a hipótese de mal súbito, o que será confirmado posteriormente por meio de um exame necroscópico, que fica pronto em um mês.

O caso está sendo investigado após ter sido registrado no 3º Distrito Policial de São Vicente como morte suspeita. O Colégio Luiz Júnior afirmou que lamenta o ocorrido, destacou que preza pelo cuidado com os alunos nos momentos de atividades desenvolvidas e que aguarda a apuração dos fatos pelos órgãos competentes.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Filha tira a vida do próprio pai e fuga é mostrada por imagens de câmeras de monitoramento em SP

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta quarta-feira (21). O momento e que Cláudia, de 41 anos, foge após supostamente matar Aparecido, seu pai, por vingança, é capturado por imagens de câmeras de segurança e mostra a frieza da acusada. Cláudia relatou a família que teria sido abusada pela vítima quando ainda era adolescente.

Imagens de câmeras de segurança mostram Cláudia em uma rua com pouca movimentação colocando uma mochila no lixo, onde estaria a gasolina usada para incendiar o corpo da vítima. Ao deixar o objeto, Cláudia contorna o caminhão e sai do local com óculos escuros e portando uma bolsa no ombro direito.

Aparecido, de 65 anos, foi morto no último dia 9, após ser incendiado na clínica onde vivia há 5 anos e Cláudia é procurada pela polícia como principal suspeita de ter cometido o crime. Cláudia revelou para toda a família quando tinha 30 anos, que teria sido abusada por Aparecido durante toda adolescência. Apesar dos traumas, Cláudia sempre ajudou o pai.
Cláudia avisou recentemente que viria de Manaus para fazer uma visita ao pai que estava internado na clínica de reabilitação. Ela teria chamado o pai para dar um passeio e teria ateado fogo no homem que não resistiu.

De acordo com um dos responsáveis pela clínica, Cláudia foi amorosa com o pai quando o visitou pela última vez.‘‘Ela sempre foi amorosa. Abraçava, beijava, ficava com o pai no Cantinho dele’’, disse Cristiano. Cláudia queria levar o pai para a casa dela, porém o irmão não autorizou, embora Aparecido tenha aprovado a idéia, segundo o fundador da clínica. Cláudia antes de embarcar enviou uma mensagem para o irmão perguntando se ele já assistiu o filme ‘‘Doce Vingança’’; o filme traz a história da mulher que se vingou dos homens que abusaram dela.

A Polícia Civil apura se Cláudia recebeu ajuda de pessoas externas para cometer este crime bárbaro. As investigações apontam que a mulher chegou a pegar dinheiro com um ex-namorado para os custos com as passagens de Manaus à São Paulo, mas devolveu o valor.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Mulher, marido e policial morrem em condomínio de luxo em SP, após ocorrência de cárcere privado

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta terça-feira (20). Uma ação policial que aconteceu na tarde dessa segunda-feira (19) em uma casa na região da Granja Viana, no município de Cotia, na Grande São Paulo, terminou com a morte de uma mulher de 41 anos, o marido dela, de 44 anos, e um policial, vítimas de disparos de arma de fogo. Na ocorrência outro policial também foi atingido pelos disparos e está internado. A Polícia Civil informou que foi acionada para uma ocorrência de cárcere privado, mas quando a equipe chegou até o local a vítima já estava em óbito e o atirador disparou contra os agentes.

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo, Ruy Ferraz Fontes, a vítima foi identificada como Patrícia e teria sido morta por volta das 10h. Segundo a polícia, agentes do 2º Distrito Policial de Cotia foram solicitados para atenderem a uma ocorrência de suspeita de cárcere privado onde um homem estaria mantendo sua esposa refém.

“No local, o autor efetuou disparos de arma de fogo contra os agentes, que intervieram. Um policial civil foi baleado e morto e a mulher foi morta antes da chegada da polícia. A ocorrência ainda está em andamento e mais detalhes serão fornecidos após o registro do caso”, disse a nota emitida pela polícia.

Segundo o delegado, houve troca de tiros entre Ricardo e os agentes em um terreno baldio próximo a residência onde o casal morava. Na troca de tiros Ricardo matou um policial e acabou sendo morto. Na ocorrência outro policial acabou sendo atingido por seis disparos e foi socorrido. O agente passou por cirurgia e o estado de saúde dele permanece estável.

De acordo com o delegado Eduardo Brotero, Patrícia foi atingida por cinco tiros nas costas. Há também o relato de vizinhos que disseram que o casal brigava bastante e que Ricardo havia agredido fisicamente Patrícia em outras ocasiões.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Menina de 4 anos perde a vida em SP após briga entre vizinhos motivada por disputa de garagem

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta segunda-feira (12). Uma menina de 4 anos foi vítima de um desentendimento entre vizinhos e acabou falecendo nesse domingo (11), em Santo André, no ABC Paulista. Durante a briga a menina acabou sendo atingida por disparo de arma de fogo e não resistiu ao ferimento.

A menina estava chegando em casa, na Vila Regina, acompanhada pelo pai e outras três crianças em um veículo quando o seu pai se desentendeu com um vizinho que efetuou vários disparos os quais atingiram a criança e o pai dela. A menina atingida chegou a receber atendimento mas faleceu momentos depois. O pai foi atingido no braço e na perna e já teve alta médica. Felizmente as demais crianças não foram atingidas pelos disparos.

De acordo com Rosimeire Conceição Sigoli, avó da menina, o desentendimento pode ter começado pela disputa por uma garagem. Logo depois do ataque o atirador fugiu do local e a Polícia Civil realiza buscas na região para prender o suspeito que já foi identificado.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Polícia Civil investiga Conselheira Tutelar executada na frente do filho em SP carregando R$ 18 mil

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta quinta-feira (24). O assassinato da Conselheira Tutelar e advogada Lucia Elen Vaz de Souza, 42 anos, está sendo investigado pela Polícia Civil de São Paulo. A vítima foi executada na frente do filho, na zona norte da capital, e a polícia investiga o envolvimento dela com a venda de terreno utilizando documentos falsos.

Lucia Elen foi executada na rua Paraná, no Tremembé, zona norte de São Paulo, nessa terça-feira (22), em um lugar estratégico escolhido por não ter câmeras de segurança. A Conselheira Tutelar foi morta no momento em que voltava pra casa e estava em companhia do filho de 12 anos, o qual não sofreu nenhum ferimento apesar de presenciar de perto o que aconteceu. O veículo que Lucia estava foi fechado ainda em movimento e ela foi abordada e retirada do interior do veículo por três homens encapuzados.

Os assassinos executaram a vítima com três disparos de arma de fogo na frente do filho e fugiram na sequência. Foram encontrados com a vítima R$ 18 mil em dinheiro, sendo que parte do valor estava em uma pasta e cerca de R$ 9 mil estavam escondidos no sutiã de Lucia.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga se o assassinato da mulher tem alguma ligação com a venda de terrenos na região onde ela morava e o uso de documentação falsa. A polícia também analisa o envolvimento da vítima com um ex-companheiro que faz parte de organização criminosa e no momento está preso. Colegas de trabalho de Lucia serão ouvidos e o crime foi registrado no 73º Distrito Policial do Jaçanã e o DHPP conduz as investigações.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Após denunciar PMs por estupro coletivo em SP jovem desaparece; Corregedoria diz que ato foi consensual

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta quinta-feira (13). Helen Caroline, 18 anos, está desaparecida após ter acusado 7 policiais militares como os responsáveis por abuso sexual coletivo, além de tráfico de drogas. Na apresentação da denúncia à Corregedoria da PM, Helen chegou a reconhecer um dos suspeitos.

Na época da denúncia à Corregedoria, uma outra policial pediu para Helen olhar uma fotografia do marido. O homem da foto que também é policial foi reconhecido por Helen como um dos envolvidos no abuso. A jovem foi a duas delegacias e relatou os fatos com muita clareza e teve um boletim de ocorrência registrado. No entanto foi verificado que o documento não relata as informações que a jovem apresentou.

A jovem disse que havia sido levada para uma chácara em companhia de três policiais em uma viatura e que ao chegar ao local tinham outros quatro policiais em veículo oficial. Helen disse que foi abusada por todos eles e que havia sido liberada por volta de 6h. Informou ainda que precisou caminhar por dois quilômetros e então chegou em casa.

Helen começou a apresentar desvios de comportamento e questionada pelos pais a jovem disse que estava sendo perseguida. Os pais de Helen encontraram uma sacola com drogas no quarto dela. A droga seria de um agente policial com quem Helen estava mantendo um relacionamento. A jovem está desaparecida desde o dia 6 de maio após sair de casa na região de Vargem Grande, região metropolitana de São Paulo, e ir até a empresa onde trabalhava para pedir uma troca de horário.

A Corregedoria da Polícia Militar informou por meio de nota que soube do caso por denúncia feita pelo pai da jovem e a relação de Helen com os agentes teria sido consensual. Nesta ocasião a droga que estava guardada no quarto de Helen também foi apresentada.

Após a denúncia os agentes envolvidos foram identificados e seguem afastados de suas funções e um inquérito foi instaurado para apurar o caso. A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP) disse que o desaparecimento de Helen é investigado pelo Setor de Homicídios de Vargem Grande.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...