Peixe raro é encontrado em praia no litoral do Piauí e morre horas depois

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste sábado (3). Moradores da Praia do Coqueiro, em Luís Correia, litoral do Piauí, encontraram encalhado nessa quinta-feira (1º), um peixe-lua, animal raro que vive nas profundezas do oceano. Com o nome científico Mola mola, a espécie morreu momentos depois de ser encontrado.

O peixe-lua é o maior peixe ósseo catalogado e existem cinco espécies dele no mundo, chegando a medir três metros de comprimento e podendo pesar mais de 1 tonelada. O animal encontrado no Piauí foi conservado em uma câmara fria para fins científicos e não teve ainda o seu peso determinado.

De acordo com a bióloga Verlane Magalhães, do Instituto Tartarugas do Delta, informou que o peixe encontrado chegou se batendo e morreu logo depois. Magalhães confirmou que esta foi a primeira vez que este tipo de peixe foi encontrado vivo no litoral do Piauí.”Ele foi recolhido e armazenado em uma câmara fria para servir como material didático, através do Ecomuseu. Já encontramos outras vezes, mas as carcaças em decomposição nas praias”, contou. Mas não é só isso…

Segundo o professor de biologia marinha César Fernandes, da Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFPar), o peixe-lua é raro de ser visto porque vive nas profundezas do oceano. Informou ainda que o animal é comestível, apesar do aspecto estranho.“O peixe-lua é da espécie Masturus lanceolatus, vive a cerca de 700 metros de profundidade e, por isso, a aparição é incomum nas praias, ainda mais vivo. Talvez ele tenha sido arrastado por uma correnteza muito forte”, contou.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Após longa investigação, Polícia encontra ossos de mulher desaparecida há 5 anos; Ex-companheiro da moça confessou o crime e contou a localização do cadáver

Uma notícia causou burburinho nas redes nesta tarde de sexta-feira (7). Policiais encontraram a ossada de uma mulher, identificada como Maria Jaqueliny Mendes e Silva, que estava desaparecida desde 2015, em Teresina (PI). Os ossos da mulher foram encontrados em sua antiga residência após o principal suspeito de ter cometido o crime ter sido preso.

Os policiais afirmaram que o boletim de Ocorrência registrando o desaparecimento da mulher foi feito apenas em 2020, porém, o documento informava que não se tinha notícias da mulher desde 2015.

Além disso, ela tinha um relacionamento com um homem casado, que é o principal suspeito do crime.

Ele teria colocado a casa onde a mulher morava anteriormente a venda com o argumento que ela teria ido morar em outro estado.

De acordo com as testemunhas, a polícia descobriu que ela era agredida pelo companheiro com frequência e que houve uma briga feia entre o casal no dia que ela desapareceu.

“Nessa confusão houve barulho de objetos quebrando dando a entender que eles estavam em luta corporal. Por fim informou-se que Jaqueliny chegou a pedir socorro e gritar que ele iria lhe matar e após isso tudo silenciou”, afirmou a polícia Civil.

Assim, após ser preso, o homem confessou o crime e contou à polícia onde se encontrava o corpo.

“Às 23h, após exaustivo trabalho de escavação realizado por equipe que acompanhava os membros desta DHPP, foi encontrado ao lado de um pé de manga que fica localizado no quintal da residência onde morava Jaqueliny, várias peças de roupas femininas e uma ossada completa de corpo adulto. Esses restos mortais serão objeto de verificação de compatibilidade genética para comprovar a identidade”, informou a Polícia Civil.

Da redação Acontece na Bahia.

Ver completo...