Passageiro embarca com coelho em voo internacional para Dublin, após confusão generalizada em aeroporto de SP

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste sábado (20). Uma confusão no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, chamou a atenção de quem estava no local. A discussão que foi marcada por troca de palavrões e ameaças, se iniciou após um rapaz, dono de um coelho, ser barrado por funcionários da companhia aérea no momento do embarque, apesar de possuir autorização judicial para levar o animal nessa quinta (18).

Os advogados do dono do animal informaram que Alfredo, nome do coelho, embarcou no avião sob escolta policial, após uma segunda autorização judicial.

A defesa do rapaz disse que entrou em contato anteriormente com a KLM e informou sobre a decisão judicial autorizando o embarque do animal, para que não houvesse contratempos de última hora e mesmo assim “o comandante informou não se importar com a decisão judicial e retornou à aeronave, sem os nossos clientes”.


O escritório de advocacia divulgou nas redes sociais as imagens do passageiro e seu animal.”O nosso escritório repudia, veementemente, toda forma de violência e, mais ainda, o desrespeito às decisões judiciais, que são um dos pilares do estado democrático de direito”, comunicaram em nota os advogados da Furno Petraglia e Pérez Advocacia.

As imagens divulgadas nas redes sociais mostram o momento em que o dono do animal xingou a funcionária da KLM e, em seguida foi atingido com socos por outro funcionário, que estava vestido de preto, desencadeando uma confusão generalizada.

No momento da confusão, o dono do animal, que estava ao telefone, foi empurrado e esbarrou na mala onde o animal estava. O vídeo divulgado mostra o casal questionando com a funcionária sobre a autorização judicial prévia e o aval da própria KLM, permitindo o embarque do coelho.
A empresa divulgou uma nota em que esclarece que houve um “equívoco interno” ao repassar informações sobre a documentação para a equipe de embarque.

Devido a um equívoco interno da companhia, o transporte excepcional do animal na cabine da aeronave, com base em uma decisão judicial, não foi comunicado à tripulação do voo com antecedência”, disse a nota emitida pela empresa.

Ao contrário de cães e gatos, animais roedores não podem ser transportados na cabine da aeronave por razões de segurança, motivo pelo qual os passageiros não puderam embarcar no voo da KLM desta quinta-feira (18/11) em São Paulo com seu coelho”, informou.

Entretanto, coelhos são lagomorfos, ao contrário dos roedores. Eles possuem quatro dentes incisivos, diferente dos roedores, como os ratos, que possuem dois dentes.

A KLM informou que “lamenta profundamente que a situação tenha escalado para um desentendimento no local de embarque” e ressaltou que não aprova “qualquer tipo de comportamento violento de passageiros e colaboradores”. A empresa comunicou que foi aberta uma investigação interna para apurar os fatos.

Após o desentendimento, o passageiro conseguiu embarcar seu coelho em um voo internacional da KLM nesta sexta-feira (19).

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...