PF abre inquérito para investigar Bolsonaro e apurar supostas irregularidades na compra da Covaxin

Uma notícia tem sido manchete em todos os meios de comunicação nesta segunda-feira (12). A Polícia Federal (PF) investiga suposto crime de prevaricação praticado pelo presidente Bolsonaro na compra da vacina indiana Covaxin. A negociação envolvia inicialmente a compra de 20 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 Covaxin, no valor total de R$ 1,6 bilhão. O início desta investigação atende a uma solicitação da PGR (Procuradoria-Geral da República), após denúncias feitas pelo deputado Luiz Miranda (DEM-DF) e do seu irmão, o servidor Luis Ricardo Miranda.

A investigação que iniciou nessa quarta-feira (7) está sendo conduzida pelo Sinq (Serviço de Inquéritos), área estratégica da Polícia Federal em Brasília que investiga pessoas com foro privilegiado. A PF analisará o suposto crime praticado pelo presidente e encaminhará a PGR que analisa a possibilidade de provocar o STF. A Corte poderá autorizar uma investigação contra o presidente, a depender de autorização da Câmara.

A abertura de inquérito pela PF constitui a fase inicial deste processo. Caso o STF encontre elementos suficientes para investigar o presidente, e só ele pode fazê-lo, é necessário que a Câmara dos Deputados aprove com um quórum de 2/3 dos deputados e a partir daí ocorre o afastamento preventivo do presidente da República. Mas não é só isso…

O deputado Luiz Miranda e seu irmão afirmam que avisaram o presidente Bolsonaro sobre supostas irregularidades na compra da vacina indiana Covaxin. A investigação busca saber se o presidente Bolsonaro cometeu crime de prevaricação, que segundo o Código Penal constitui retardar ou deixar de praticar indevidamente ato de ofício ou para benefício próprio praticar ato contrário a disposição legal.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Caso Gael: Após perícia, polícia encontra ferimentos causados por objeto similar ao anel usado pela mãe do garoto; o objeto foi apreendido e passa por investigação

Uma notícia chamou a atenção dos internautas nesta manhã de terça-feira (11). Os policiais encontraram no exame de necropsia do garoto Gael de Freitas Nunes, de 3 anos, ferimentos que podem ter sido causado pelo anel usado pela mãe do menino. O objeto foi apreendido pelos policiais para exames.

A mulher foi presa na madrugada de hoje (11) e prestou depoimento na 1º Delegacia de Defesa da Mulher, no Cambuci. Posteriormente, ela foi levada para o 89ºDP, no Portal do Morumbi, onde está presa.

Ela é a principal suspeita de ter cometido as agressões que culminaram na morte do garoto.

No entanto, o caso ainda está sendo investigado e os policiais ainda não chegaram a conclusão de que foi o responsável pela morte do garoto de 3 anos.

Leia mais sobre o caso em:

Em caso parecido com o do garoto Henry, Mãe é suspeita de agredir filho de 3 anos até a morte em São Paulo

Ver completo...

Após longa investigação, Polícia encontra ossos de mulher desaparecida há 5 anos; Ex-companheiro da moça confessou o crime e contou a localização do cadáver

Uma notícia causou burburinho nas redes nesta tarde de sexta-feira (7). Policiais encontraram a ossada de uma mulher, identificada como Maria Jaqueliny Mendes e Silva, que estava desaparecida desde 2015, em Teresina (PI). Os ossos da mulher foram encontrados em sua antiga residência após o principal suspeito de ter cometido o crime ter sido preso.

Os policiais afirmaram que o boletim de Ocorrência registrando o desaparecimento da mulher foi feito apenas em 2020, porém, o documento informava que não se tinha notícias da mulher desde 2015.

Além disso, ela tinha um relacionamento com um homem casado, que é o principal suspeito do crime.

Ele teria colocado a casa onde a mulher morava anteriormente a venda com o argumento que ela teria ido morar em outro estado.

De acordo com as testemunhas, a polícia descobriu que ela era agredida pelo companheiro com frequência e que houve uma briga feia entre o casal no dia que ela desapareceu.

“Nessa confusão houve barulho de objetos quebrando dando a entender que eles estavam em luta corporal. Por fim informou-se que Jaqueliny chegou a pedir socorro e gritar que ele iria lhe matar e após isso tudo silenciou”, afirmou a polícia Civil.

Assim, após ser preso, o homem confessou o crime e contou à polícia onde se encontrava o corpo.

“Às 23h, após exaustivo trabalho de escavação realizado por equipe que acompanhava os membros desta DHPP, foi encontrado ao lado de um pé de manga que fica localizado no quintal da residência onde morava Jaqueliny, várias peças de roupas femininas e uma ossada completa de corpo adulto. Esses restos mortais serão objeto de verificação de compatibilidade genética para comprovar a identidade”, informou a Polícia Civil.

Da redação Acontece na Bahia.

Ver completo...