Após filho confessar que tirou a vida da namorada Giovanna Peters, pai acionou a PCDF

O jovem Leandro de Araújo Marques, de 22 anos, negou ter envolvimento no caso do desaparecimento da namorada Giovanna Laura Santos Peters, de 20 anos, mas diante de tantas evidências que apontavam para ele como autor do crime, não teve jeito e confessou ao pai que matou a jovem, dentro de casa, em Ceilândia.

Na chegada à 23ª Delegacia (Ceilândia Sul), onde os dois estiveram acompanhados de um advogado, Leandro prestou esclarecimentos aos investigadores. Os policiais perceberam que existiam informações desencontradas e aconselharam ao pai de Leandro que conversasse com ele em particular.


Leandro confessou o crime ao pai às 2h dessa sexta-feira (3/12). Logo em seguida, Paulo Cláudio Marques entrou em contato com a delegacia e entregou o filho, que se comprometeu a mostrar o local onde havia deixado o corpo da namorada.

O corpo da jovem estava em uma estrada de chão, próxima à antiga Academia da Polícia Civil, em Taguatinga, todo coberto de pedras. A jovem estava desaparecida desde segunda-feira (29/11), quando teria ido para a casa do namorado, em Ceilândia Sul. Informações apontam que Leandro degolou a namorada após um desentendimento entre eles.

A jovem teria saído de casa na tarde do domingo (28/11) informando que ia dormir na casa do namorado. No dia seguinte, segundo Leandro, a jovem pegou um transporte de aplicativo e foi embora. Leandro ainda informou que o veículo que a conduziu era um Ônix prata.

Giovanna desde este momento ficou incomunicável. Após registrar boletim de ocorrência, a mãe de Giovanna pediu ajuda para Leandro, pois achava que ele poderia ter informações que ajudasse a resolver o caso. O rapaz disse que não poderia ir à unidade policial em razão de estar trabalhando em uma chácara.

Os agentes foram até o local onde Leandro trabalhava e tomaram o seu depoimento. No depoimento, a polícia identificou pontos divergentes, uma vez que nenhum motorista por aplicativo teria sido acionado ao endereço, conforme ele havia informado anteriormente.

A polícia voltou até o local para localizar o celular de Giovanna e percebeu manchas de sangue em uma cadeira da sala, uma camiseta branca com manchas, aparentemente de sangue, em um cesto de roupas que estava no banheiro da casa.


Foi encontrado ainda no local um facão com manchas escuras. Diante destes indícios, a perícia foi acionada para o local. Durante a madrugada, os peritos confirmaram que tinha manchas de sangue na cadeira e no chão da sala.

Leandro indicou para a polícia o local onde o corpo de Giovanna estava. O rapaz foi preso e não ofereceu resistência. O jovem disse que havia rompido o relacionamento com Giovanna, e mais tarde reataram o namoro. Nesta época, ele ficou sabendo que Giovanna se relacionou com outras pessoas e esse foi o motivo da discussão.

Leandro disse que a namorada o xingou e o agrediu fisicamente, momento em que ele a segurou por trás e cortou o pescoço com uma faca. Após o crime, Leandro pediu o carro de um amigo emprestado e levou o corpo para uma região de mata e o escondeu. O acusado disse que tinha jogado fora o celular da vítima e a arma que usou para cometer o crime. O crime é investigado como feminicídio e, caso seja condenado, o autor pode pegar até 30 anos de prisão.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Homem usou quatro facas para tirar a vida da esposa e sogra e disse que ‘perdeu a cabeça’; suposto caso extraconjugal pode ter motivado o crime

A polícia prendeu Filipe Renovato, de 30 anos, acusado de ter matado nessa quarta-feira (1º) a esposa, de 25 anos, e a sogra, de 41. O homem teria dito a polícia que “perdeu a cabeça” e por conta disso cometeu o crime. Filipe Renovato foi preso em flagrante após duas horas de negociação, em Sorocaba (SP). O homem estava em sua casa, localizada no bairro Itanguá e se entregou à polícia.

Informações contidas no boletim de ocorrência, apontam que Filipe era casado com Isabela Rosa Renovato, e o casal tinha um filho de 4 anos. Entretanto, há um mês o casal estava se separando em razão de Filipe ter visto conversas entre Isabela e outra pessoa no celular dela.

De acordo com o boletim de ocorrência, Filipe disse que “perdeu a cabeça” quando descobriu um possível caso extraconjugal envolvendo a esposa. O homem atacou com golpes de faca a esposa e a sogra, Daniela Rosa, de 41 anos.

A esposa de Filipe foi socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. Daniela Rosa faleceu no local. A polícia informou que mãe e filha apresentavam muitos ferimentos pelo corpo e que o imóvel estava com muitas manchas de sangue. O advogado de defesa de Filipe não foi localizado para comentar o caso.

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar estiveram no local por volta de 6h30, tendo sido acionados por vizinhos que perceberam que as mulheres estavam reféns. O cunhado do assassino, de 14 anos, e o filho dele de 4 anos estavam na casa onde o crime aconteceu. No momento dos ataques eles conseguiram fugir e pedir ajuda.

A polícia apreendeu quatro facas que foram usadas no crime, que foi registrado como feminicídio na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Feira de Santana: Polícia prende suspeito de tirar a vida da esposa na frente dos filhos

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste sábado (26). Foi preso nessa sexta-feira (25) o homem suspeito de tirar a vida da companheira no bairro Papagaio, em Feira de Santana. O acusado já prestou depoimento na Delegacia de Atendimento à mulher (DEAM), e está a disposição da justiça. O crime foi motivado por uma discussão que aconteceu por volta de 4h dessa quinta-feira (24) e Moniza Carla Barros de Oliveira, 31 anos, foi atingida por disparos de arma de fogo dentro da própria casa.

De acordo com informações a mulher ainda chegou a receber atendimento no Hospital Geral Clériston Andrade, mas não resistiu. O crime foi praticado na frente dos filhos de Moniza, uma criança de 3 e outra de 10 anos. Segundo a delegada Clécia Vasconcelos, responsável pelas investigações, Moniza ainda estava viva quando foi pedido ao juiz plantonista o pedido de prisão preventiva do acusado com a informação que a mulher tinha sofrido uma tentativa de feminicídio.

Posteriormente ela veio a óbito no hospital e informamos mais uma vez sobre esse fato. Foi decretada a prisão, foi mantido contato com os números de telefone envolvidos na situação, até que chegamos até ele, e a condição foi de que ele viria a se apresentar acompanhado pela advogada. Aqui ele ficou sabendo que havia um mandado de prisão preventiva, e foi dado o devido cumprimento. Infelizmente mais uma mulher morta na frente dos filhos, destroçando toda uma família”, disse a delegada responsável pelo caso.

Segundo informações da delegada responsável pelas investigações, havia uma medida protetiva contra o suspeito mas o homem não aceitava a separação. “Ele alega que voltaram a viver juntos, descumprindo a medida protetiva, isso será ainda analisado. O motivo desta ação, essa covardia, segundo ele, é de que ele estava doente, e ela estava na casa da irmã, época junina, e como ela chegou por volta das 2h da manhã, discutiram. Ela estava com os filhos, uma criança de 03 e outra de 10 anos, e ele disse que perdeu a cabeça, se diz arrependido e efetuou dois disparos de arma de fogo contra ela, um deles, querendo atingir, justamente o coração, o peito dela. Perdeu a cabeça e tinha uma arma de fogo”, contou a delegada.

De acordo com informações, o suspeito ainda responde na justiça por outro homicídio.“Eu acredito que ele tenha usado a mesma arma do crime que perpetrou em 2013, mas ele nega. Ele disse que comprou essa arma por R$ 1.500 na Feira do Rolo porque estaria sendo ameaçado por pessoas após esse delito anterior por ele praticado”.

A delegada lamentou o crime e disse que toda a equipe ficou consternada. Informou ainda que não ocorre um caso de feminicídio em Feira de Santana com vítimas que tenham medidas protetivas desde 2013.

O corpo da Deam e todos os policiais que atenderam o caso, se consternaram. Desde 2013 não acontece um feminicídio em Feira de Santana de uma mulher que tenha passado pela Deam. A rede da Deam é muito atuante quanto a isso. Não é uma realidade à qual estamos acostumados. A gente não quer ter esse costume, então essa resposta rápida é necessária. A gente fica indignado, a gente corre pra cima. Logo que ocorreu o fato, o plantão requereu a prisão preventiva. A gente recheou com novos fatos e foi concedido. O juiz plantonista prontamente acatou essa cautelar, fomos atrás e hoje cumprimos o mandado de prisão. Ele já deveria estar preso há muito tempo. Talvez se hoje ele estivesse, Moniza estaria viva criando os filhos dela. É muito sofrido a gente ter que se debruçar num caso desse, e cada vez a gente percebe que a nossa luta é necessária e que a gente ainda tem que lutar muito”, desabafou a delegada Clécia Vasconcelos.

Da redação do Acontece na Bahia

Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade

Ver completo...

Casal é encontrado sem vida em apartamento no Rio de Janeiro; filho de 12 anos testemunhou o crime

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste sábado (26). Isto porque um casal foi encontrado sem vida em um apartamento localizado no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O crime aconteceu nessa quinta-feira (24), e a Polícia Civil suspeita que o homem, que é policial, tenha assassinado a companheira e na sequência cometeu suicídio.

De acordo com informações, o filho do casal que tem 12 anos presenciou o crime e solicitou ajuda para salvar a sua mãe, Janaína Pourchet, que tinha 44 anos. A Delegacia de Homicídios da Capital, na Barra da Tijuca, está conduzindo as investigações e até o momento os agentes já tomaram os depoimentos do porteiro do prédio e de um morador. Mas não é só isso…

Segundo informações, familiares do casal devem prestar depoimentos à polícia com o objetivo de esclarecer o caso. Os investigadores ainda procuram saber se o crime é um feminicídio seguido de suicídio do policial.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Ex-marido tira a vida de mulher e deixa rosas no local do crime, alianças nas mãos e frase escrita na testa da vítima

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta terça-feira (22).A auxiliar de cozinha Elisangela Martins, 34 anos, foi brutalmente assassinada nessa sexta-feira (18), na cama da casa onde morava, na cidade de Contenda, Região Metropolitana de Curitiba. O crime que aconteceu no bairro Cionek chocou a população local pela crueldade como aconteceu com o ex-companheiro deixando rosas no local, uma aliança nas mãos e uma frase escrita por meio de caneta na testa da vítima que dizia:‘‘ Morreu por confessar uma traição’’.

O acusado desse crime bárbaro é o ex-companheiro de Elisangela, Rudinilsom Martins, 35 anos, que havia sido preso no sábado (19) e cometeu suicídio ainda dentro da delegacia de polícia quando estava prestes a dá o seu depoimento. De acordo com o delegado de polícia, Vinícios Maciel, o suspeito que foi identificado como pertencente a uma organização criminosa foi deixado em isolamento em uma cela e no momento em que prestaria o seu depoimento foi achado enforcado.

Familiares relataram que Elisangela e o acusado eram primos de 1º grau e já tinham tido um relacionamento há algum tempo vindo a se reencontrar recentemente por meio das redes sociais. Entretanto o relacionamento atual era marcado por brigas e desentendimentos, de acordo com a família.

Na última quinta-feira (17), Rudinilsom deixou o filho de Elisangela que tem cinco anos na casa da cunhada informando que ia levar a auxiliar de cozinha para um motel. Nesse momento a família já desconfiava do que poderia ter acontecido pois ouviram da criança em conversa que ele pedia para que Rudinilsom não matasse a sua mãe. Não se sabe ao certo se o menino presenciou o assassinato. Mas não é só isso…

Diante do desaparecimento de Elisangela, a polícia foi acionada e encontrou a vítima morta na casa onde morava nessa sexta-feira (18). Uma amiga de Elisangela relata que ela era uma mulher guerreira e que cuidava bem do filho. O delegado responsável pelo caso conta como aconteceu este crime brutal cometido com o uso de arma branca.

A vítima estava com uma aliança em cima da mão, rosas em outra mão, ele acabou escrevendo no rosto da vítima em caneta, ‘morreu porque traiu’, além da brutalidade do crime. Faz seis anos que eu trabalho aqui e essa foi uma das situações de maior violência que eu já vi com relação à quantidade de golpes que foram dados na vítima”, disse o delegado.

O ex-companheiro de Elisangela já havia se envolvido com outra mulher anteriormente a qual também teria sido ameaçada por ele. O homem que estava foragido da justiça tinha ficha criminal na polícia e era investigado por esquartejar uma vítima em 2009 dentro de unidade prisional, além de ser suspeito de ter assassinado outra mulher com quem manteve um relacionamento no passado. O inquérito policial deve ser encerrado com a morte de Rudinilsom.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Homem fingiu que ia entregar filha do casal para matar a ex-companheira na porta de casa no DF

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta segunda-feira (21). Osmar de Souza Silva, de 36 anos, é acusado de enganar Thais Silva Campos, de 27 anos, para matá-la, de acordo com informações da Polícia Civil do DF. Thais foi morta na noite de domingo (20), na porta de casa, na quadra 14 de Sobradinho, e o ex-companheiro é o principal suspeito do crime e continua foragido, de acordo com a polícia.

Segundo as investigações, o homem enganou a ex-companheira ao dizer que ia entregar a filha do casal de 2 anos, que estava com ele, para a mãe. Entretanto, a criança estava com um irmão dele, e ao chegar à residência da vítima, o acusado disparou quatro vezes contra a ex-companheira. O crime foi gravado por imagens de câmeras de segurança que mostram Osmar em frente a residência de Thais e o momento em que dispara contra a vítima e na sequência deixa o local em um carro branco.

O veículo usado pelo suspeito foi encontrado abandonado no estacionamento de um supermercado nesse domingo (20), e foi periciado pelos policiais. Osmar usou uma pistola .380 para cometer o crime. Segundo as informações divulgadas pela polícia, ainda não há confirmação de que o irmão do suspeito tenha algum envolvimento no crime e que sabia da intenção de Osmar com relação a sua ex-companheira.”Nada indica que o irmão sabia do plano macabro”, disse o delegado Hudson Maldonado, da 13ª Delegacia de Polícia.

De acordo com as investigações, o acusado e a vítima tiveram uma união estável por cerca de cinco anos e há cinco meses estavam separados. Segundo a polícia, o homem não aceitava o fim do relacionamento e a vítima tinha medo do ex-companheiro, contudo, não registrou nenhuma ocorrência policial.”Nunca procurou uma delegacia para pedir amparo. Nunca acionou a polícia ou qualquer órgão”, comentou o delegado.

O acusado já tinha passagem pela polícia em razão de violência doméstica registrada por outra mulher em 2016, na 6ª DP, no Paranoá. A polícia tem a informação de que o acusado estaria pretendendo fugir para Portugal mas não confirmou a denúncia.

A vítima que foi servidora de higiene dental da Secretaria de Saúde, foi homenageada por meio de uma nota emitida pelo órgão.”Thais era tida pelos amigos e colegas de trabalho como uma pessoa linda, nos mais diversos sentidos. Era uma ótima companhia. Mesmo quando enfrentava problemas em sua vida pessoal, estava sempre disposta e alegre. Será lembrada como uma pessoa agradável e lutadora”.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...