‘Consequência trágica’, diz empresária sobre estado de saúde de Claudia Rodrigues que passa por momento delicado com risco de morte

Uma notícia triste tem preocupado os fãs e seguidores da atriz Claudia Rodrigues nesta sexta-feira (16). Isto porque após ter sido internada no dia 9 de julho no Hospital Albert Einstein com sintomas como dormência pelo corpo e confusão mental, a amiga e empresária da atriz, Adriane Bonato, publicou um vídeo emocionado em que atualiza para os seguidores o estado de saúde de Claudia Rodrigues e pede orações em favor dela.

“Infelizmente, depois de todos os exames feitos. Alguns resultados nos levaram a ver que ela está tendo um aviso de possível surto por não estar tomando o Ocrevus, que não está mais no corpo dela. A qualquer momento pode acontecer dela ter um surto”, contou.

A empresária disse que foi preciso suspender o uso da medicação para esclerose múltipla para que fosse aplicada a vacina contra a Covid 19, o que prejudicou o tratamento.”Não queremos que isso aconteça. Se acontecer, as consequências podem ser trágicas. Já aconteceu de ter óbito por conta de fazer essa quebra de protocolo (da medicação contra esclerose) e era isso que a gente estava evitando”.

Bonato ainda contou que a dose da vacina poderia ser adiantada em situações como a de Claudia Rodrigues, mas disse que tal opção não foi ofertada.”Descobri que a vacina da Pfizer pode ser tomada. O protocolo é que ela seja tomada no intervalo de três semanas e não de três meses […] Se tivessem escolhido três semanas, ela já estaria imunizada e não estaria passando por nada disso. Ela já teria tomado o Ocrevus, o corpo dela já teria recebido medicação, a gente não estaria aqui e amanhã ela não estaria correndo risco de morrer por conta da irresponsabilidade e da má gestão”.

A atriz foi diagnosticada com esclerose múltipla nos anos 2000 e tem lutado contra a doença que a afastou das atividades profissionais. Após o diagnóstico Claudia Rodrigues também desenvolveu um quadro grave de depressão.

Da redação do Acontece na Bahia

 

 

Ver completo...

Empresária diz que Claudia Rodrigues está tendo início de possível surto de esclerose múltipla em razão de ausência de medicamentos

Uma notícia tem circulado nas redes sociais nesta sexta-feira (16). Por meio das redes sociais a empresária da atiz Claudia Rodrigues, Adriane Bonato, informou que os exames feitos pela atriz mostraram que ela está tendo um aviso de possível surto de esclerose múltipla em razão da abstinência de medicamentos para tratar a doença. Claudia Rodrigues teve que suspender o uso dos remédios para receber a vacina contra a Covid 19.

A atriz precisou ser internada no dia 9 de julho no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. “Ela teve dormência no braço e perna direita, muita cefaleia, febre e confusão mental”, disse a empresária ao afirmar que na época foi descartada a suspeita de Covid 19. A empresária da atriz informou que os medicamentos para a esclerose múltipla foram suspensos porque não poderiam ser tomados no intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina, com possibilidade de feitos colaterais, inclusive morte.

“Nós optamos pela vacina contra a Covid-19, que era o mais importante, já que a imunidade dela é baixa devido ao transplante”, contou. Claudia Rodrigues deve obedecer o prazo de três meses entre a primeira e a segunda dose para que não ocorra nenhum problema.

“Infelizmente, depois de todos os exames feitos,resultados excelentes de alguns deles – até melhores do que os passados – outros nos levaram a ver que o que ela está tendo é um aviso de um possível surto”, disse a empresária.

“Por não estar tomando o medicamento (para tratar a esclerose múltipla), ele não está mais no corpo dela.  Então, a qualquer momento isso (surto) pode acontecer, e a gente não quer porque as consequências podem ser trágicas. Já aconteceu de ter óbito pela quebra de protocolo, e é isso que estávamos evitando fazer (suspender a medicação até que a atriz receba a segunda dose da vacina), mas infelizmente não tem outra saída”, contou.

A empresária da atriz criticou os gestores públicos com relação aos protocolos de aplicação do imunobiológico da Pfizer de acordo com indicações da empresa alemã BioNTech.

“Não estou aqui para falar de política. Eu só queria que respeitassem a gente. Por que não escolheram três semanas? Se tivesse sido assim, ela (Claudia Rodrigues) já teria sido imunizada e não estaria passando por nada disso que está passando, porque já teria tomado a medicação (para a esclerose múltipla) e não estaria correndo o risco de morrer, por causa disso, dessa irresponsabilidade, da má gestão pública”, lamentou.

“Quantas vidas poderiam ter sido salvas? Quanta dor e sofrimento podiam ter sido evitados?”, questionou aos seguidores, pedindo consciência das pessoas com relação ao problema.”Parem com as festas clandestinas, senão isso não acaba nunca. Vamos usar máscara, álcool gel. A luta continua, pode ter certeza”.

 

Da redação do Acontece na Bahia

 

 

Ver completo...