Ex-morador de rua vira caso de sucesso e emprega mais de 50 funcionários em SP

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta sexta-feira (10). Depois de passar mais de um ano dormindo nas ruas na perspectiva de encontrar uma vida melhor, Jefferson Renato Correa, de 46 anos, se tornou sócio de uma empresa e de franquias espalhadas pelo município de Praia Grande, no litoral paulista. Em uma entrevista ao G1, a história do empresário ganhou as manchetes ao falar da vida difícil até abrir o próprio negócio e hoje ajudar várias pessoas.

O empresário, que é natural de Marília, interior paulista, disse que começou a trabalhar desde muito cedo quando aos 11 anos começou a guardar carros nas ruas e limpar túmulos no cemitério para arrecadar alguma renda para ajudar em casa.

Jefferson decidiu sair de casa aos 16 anos e ir atrás de uma vida melhor. Ficou na orla da praia de Santos, ainda muito pequeno e exposto, buscava encontrar formas para se sustentar. “A maior dificuldade é você não ter para onde ir. Antes eu tinha uma casa, humilde, mas tinha para onde ir. Passei o natal na rua, uma das coisas mais tristes e que me marcou”, relembra o empresário.

O adolescente passou por vários trabalhos e começou a perceber a vocação para o empreendedorismo. Naquela época, Jefferson foi localizado por sua mãe, mas voltou a fugir novamente tendo em vista conseguir melhorar de vida e ajudar sua mãe.”Comprava roupas, lavava no chuveiro da praia, pendurava nas árvores. Foi difícil, mas hoje vejo que foi a melhor coisa que teve na minha vida”, conta Correa.

O empresário conta que já trabalhou em uma empresa de sorvetes, empresa de chocolates, de bebidas, vendeu carros e chegou ao ramo de serviços de telefonia.  Em 2020 migrou para o ramo de cartões alimentação. Se tornou sócio de uma empresa de vendas de aparelhos para centrais telefônicas. Já em 2021, comprou três unidades de uma franquia de açaí e ainda tem como objetivo conquistar novos empreendimentos.

Hoje o empresário emprega por volta de 50 pessoas e conta que para ele isso não tem preço. “Quando eu falo nos processos seletivos, digo que eu estou contratando um atendente, mas quero um futuro empreendedor, um grande profissional. Tento incentivá-los a crescer”, conta.

O objetivo dessa história, segundo Jefferson, é servir de inspiração para os jovens.”Fiz isso sozinho. Hoje eu tenho condição de dar um lugar bacana para minha mãe morar, ver meus filhos direcionados. Eu vivia num mundo tão restrito que não pensava em ter profissão. O que eu penso hoje, quando eu emprego, é em poder contribuir”, conclui.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

Empresário Carlos Rodeiro perde a luta para tumor no cérebro que foi diagnosticado em abril

Uma triste notícia tem circulado nas redes sociais nesta terça-feira (27). O empresário e joalheiro Carlos Rodeiro faleceu nessa segunda-feira (26), vítima de um tumor no cérebro. Rodeiro recebeu o diagnóstico da doença em abril deste ano e posteriormente o empresário foi transferido para o hospital Albert Einstein, em São Paulo, seguindo as recomendações dos médicos que o acompanhavam.

Carlos Rodeiro retornou a Salvador há pouco tempo e teve um AVC, com os médicos buscando a sua recuperação. O empresário tem um importante trabalho desenvolvido por quase trinta anos e suas criações foram usadas pelas princesas Caroline e Stéphanie de Mônaco, e também pelas cantoras Ivete Sangalo e Madonna.

A morte prematura do empresário gerou muitos comentários nas redes sociais de pessoas que acompanhavam o seu trabalho;‘‘O criador da jóia a pulseira “Fita do Senhor do Bonfim”. A criação que já adornou os pulsos da modelo Gisele Bündchen, da princesa Stéphanie de Mônaco, do cantor Elton John e de inúmeros outros. Triste! … que ele tenha seu descanso de muita paz’’, disse uma internauta.‘‘Meus pêsames a família e aos amigos enlutados!!Que Deus o tenha em um bom lugar!!’’, comentou outra.

 

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...