Eduardo Leite critica deboche feito por Bolsonaro e chama o presidente de ‘imbecil’

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste domingo (4). A declaração feita pelo presidente Bolsonaro de que o governador do Rio Grande do Sul buscou um ‘‘cartão de visita’’ ao assumir publicamente que é gay, resultou em críticas feitas pelo tucano que chamou Bolsonaro de ‘‘imbecil’’. O governador Eduardo Leite justificou o seu apoio a Bolsonaro nas eleições de 2018 afirmando que o PT não era uma boa opção.

A fala do presidente Bolsonaro sobre Eduardo Leite aconteceu em conversa com apoiadores.“O cara está se achando que é o máximo, né? ‘Olha’, bateu no peito, ‘eu assumi’. É o cartão de visita para a candidatura dele”, disse o presidente.“Não tenho nada contra a vida particular de ninguém, agora querer impor o seu costume, o seu comportamento para os outros, não”, afirmou.

Em entrevista a Folha de S. Paulo, o governador Eduardo Leite respondeu as declarações feitas pelo presidente.“O presidente é um imbecil. Onde está a tentativa de imposição de qualquer coisa para qualquer pessoa? Uma declaração sobre a minha orientação sexual. Não resta outra coisa a dizer senão que o presidente é um imbecil”, contou.

Por meio das redes sociais Eduardo Leite foi criticado por ter apoiado Jair Bolsonaro nas eleições de 2018. Eduardo Leite disse que não apoiou Bolsonaro, mas que o seu voto nele simbolizava dizer não para o PT.

Saiu no programa eleitoral a minha crítica, que eu não me sentia representado naquele clima de ódio, que eu daria o voto na expectativa de que pudesse ser diferente do que o histórico dele apresentava, porque do outro lado estava o partido que tinha levado o Brasil a 14 milhões de desempregados, uma recessão econômica profunda e uma crise moral e ética gravíssima, com casos de corrupção comprovados e muito fortes”.

Sobre a eleição de Bolsonaro o governador comentou.“um erro que cometemos eu e milhões de brasileiros”. Entretanto, afirmou que o PT era sinônimo de corrupção. “Mas não é sobre discutir erros do passado, é sobre construir caminhos para o futuro. Esse é o ponto objetivo para o Brasil”, comentou.

Possível candidato às eleições de 2022, Eduardo Leite quando questionado se será um político que agirá em defesa da bandeira LGBTQIA+, respondeu que sempre defendeu a causa:“Nunca precisei falar da minha sexualidade para defender”.

Quando foi vereador em Pelotas, RS, Eduardo Leite disse que ajudou a organizar uma parada LGBTQIA+.“Não é por minha causa própria, simplesmente acreditar que a diversidade nos torna como sociedade mais ricos. Vou continuar nessa mesma linha, defendendo como sempre defendi”.

 

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...

‘Tá achando que é o máximo’, diz Bolsonaro sobre Eduardo Leite ter se assumido gay

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta sexta-feira (2). O presidente Bolsonaro falou em conversa com apoiadores nesta sexta-feira sobre a declaração do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), sobre a sua homossexualidade. Eduardo Leite afirmou nessa quinta-feira (1), em entrevista concedida ao Conversa com Bial, da Rede Globo, que é gay.

O cara ontem – não vou falar [o nome] aqui não, que dá problema – o cara ontem está achando que é o máximo. Não fala, não, tá? Se achando o máximo. ‘Olha…’ Bateu no peito: ‘Assumi’. É o cartão de visita para a candidatura dele. Nada contra, ninguém tem nada contra a vida particular de ninguém. Agora, querer impor o seu costume, o seu comportamento para os outros, não.”

Eduardo Leite esteve ao lado de Bolsonaro no segundo turno das eleições de 2018, mas agora é cotado para ser candidato à presidência da República pelo PSDB, nas eleições de 2022. O governador do Rio Grande do Sul deve figurar nas prévias do partido, em novembro, do lado oposto ao governador de São Paulo, João Doria.

Eu sou gay. E sou um governador gay, e não um gay governador. Tanto quanto Obama, nos Estados Unidos, não foi um negro presidente, foi um presidente negro. E tenho orgulho disso”, afirmou Eduardo Leite.

Agora, como a minha participação nessa política nacional, nesse debate nacional, começa a despertar talvez maiores ataques por conta de adversários. Alguns vêm com piadas, ilações, como se eu tivesse algo a esconder. Pois bem, que fique claro: não tenho nada a esconder. Tenho orgulho dessa integridade de poder aqui dizer também sobre a minha orientação sexual, quem eu sou, embora devêssemos viver num país em que isso fosse uma não questão, mas, se é, está aqui claro”, comentou. Mas não é só isso…

Bolsonaro recentemente fez insinuações com relação ao governador do Rio Grande do Sul. Em março, durante entrevista ao programa do Datena, disse:“Onde o governador do Rio Grande do Sul – que fala muito manso, muito educadamente, uma pessoa até simpática, mas é um péssimo administrador – enfiou essa grana? Eu não vou responder para ele, mas eu acho que eu sei onde ele botou essa grana toda aí. Não botou na saúde.”

O presidente ainda durante a conversa com seguidores nesta sexta-feira ironizou o governador João Doria, a quem chamou de “calça apertada”: “Depois, ele estava também numa piscina lá no Rio de Janeiro. Ele não estava com shortinho apertado, não, era calçãozinho largo. Me multou em São Paulo agora. ‘De moto sem máscara.’ Faltou ele me multar [quando] eu estava em Praia Grande, no mar…”. O vídeo foi divulgado no You Tube em um canal alinhado a Bolsonaro.

Da redação do Acontece na Bahia

Ver completo...