Cartão de crédito e dicas de uso

Gerenciar o próprio dinheiro nem sempre é simples, concorda? Por vezes, antes do fim do mês as contas já não estão batendo e precisamos utilizar o perigoso cheque especial para tentar “fechar a conta”.  O objetivo de uma vida financeira organizada é além de controlar as dívidas, direcionar o dinheiro para investimentos que nos proporcione uma melhor qualidade de vida, certo? E se eu te contar que dá para fazer isso usando o cartão de crédito com segurança? Quer saber mais? Continue a leitura.

Se você está aqui, saiba que o primeiro passo já foi dado, a busca por mudança que de maneira inteligente, vai te ajudar a usar as ferramentas possíveis para o seu “acerto de contas”, e o cartão de crédito pode ser uma delas. Entretanto será necessário sempre ter cuidado.

O uso do cartão de crédito tem crescido anualmente, tanto no comércio convencional quanto em compras eletrônicas. Apesar da praticidade, o ideal é ter noção e sabem lidar com o acúmulo de prestações, os juros, utilização do crédito rotativo e pagamento apenas do valor mínimo. O uso do rotativo do cartão de crédito (não pagamento integral da fatura) cresceu 30,4% em 2007, por isso, as dicas de uso para você são:

  1. Escolha a melhor data de pagamento, o ideal é que seja de dois a cindo dias além do recebimento do seu salário, com isso você pode se organizar e ter um tempo para realizar o pagamento com calma e sem riscos.
  2. Se você gasta muito com cartões, escolha uma prestadora que te ofereça benefícios como bônus, milhas, descontos e cashback.
  3. Cartão sem anuidade, por favor. No mercado já existem diversas empresas que oferecem taxa zero de anuidade, seja por bonôs de uso ou benefício vitalício. Ninguém merece ter que pagar por isso, né?.
  4. Tenha o seu cartão principal, concentrar suas compras em um cartão pode além de trazer vantagens de bonificações, permite que você consiga gerir melhor suas contas.
  5. Evite o crédito rotativo e pagamento mínimo.
  6. Cuidado com as compras parceladas no cartão. Existem lojas que dividem suas compras e junto embutem juros sobre a quantidade de parcelas, verifique se há taxas extras ou acréscimos a depender da quantidade de parcelas.
  7. Realize o acompanhamento de suas compras e dívidas, com a tecnologia isso está cada vez mais simples, nada de ter que ir ao banco para tirar um extrato integral de tudo, dá pra fazer isso da telinha do seu celular.

 

(Foto: https://www.genteemercado.com.br/pedir-cartao-de-credito-sem-anuidade

Ver completo...

Como resolver DE VEZ a dívida do cartão de crédito

Quem nunca teve uma dívida para resolver? Algumas delas podem ser boas, como é o caso de compra de imóvel ou veículo, por serem necessárias e terem uma utilidade prática, mas outras, podem inviabilizar muita coisa em nossa vida, como é o caso do acúmulo de compras no limite do cartão de crédito. Muitas pessoas precisam de uma ajuda para sair do vermelho. Se você é um deles, confira essas regras e passos para sair do vermelho e nunca mais ter problema com seu cartão.

O que fazer?

Evite o pagamento mínimo da fatura: a primeira vista essa parece ser uma solução ideal, mas o que parece simples pode se tornar um transtorno. No pagamento mínimo não se resolve o que está em aberto, e além do acréscimo de taxas e juros, a próxima fatura será cumulativa, contendo toda a parte não paga mais a parte referente ao mês.

Seja prudente, a sinceridade consigo mesmo é essencial para a resolução das suas dívidas. Saber quantos cartões vai ter, quando são realizados os pagamentos, acompanhar via extrato de compras, guardar os canhotos e comprovantes de compras e realizar somas e contas para um planejamento de gastos.

 

Não atrase o pagamento: O ideal é ter um cartão com vencimento próximo ao dia do pagamento do salário, pois, assim pode organizar e fazer com que a fatura caia justamente quando tem dinheiro em mãos. O ideal então é que seja em dois ou três dias após o pagamento, evitando atrasos.

 

Em caso de atraso ou problemas relativos ao não pagamento total da fatura, o ideal é realizar um empréstimo consignado, pois eles geralmente têm juros mais baixos quando comparados com o da operadora do cartão.

Qual a melhor opção?

Caso não tenha disponibilidade de realizar empréstimos ou se na cotação o juro não esteja baixo, realize o parcelamento da fatura. Como dito antes, o pagamento mínimo e o crédito rotativo são acumulativos e além das taxas que irá pagar, a fatura seguinte irá juntar os saldos não quitados. Já com o parcelamento, mesmo com taxas e juros, é quase sempre uma melhor opção pois você irá conseguir parcelar a dívida sem maiores transtornos, e ter um tempo maior para se reorganizar, mas claro, é importante sempre averiguar as taxas e comparar qual será o ideal.

Por último, tenha preferência por dinheiro ou cartão de débito: talvez o maior erro do usuário de cartão de crédito é tornar-se totalmente dependente dele, ou seja, utilizá-lo para tudo e qualquer compra. Isso só indica que você pode perder o controle, ainda mais se você não acompanha suas compras e o seu cartão já estiver com um limite de compra maior do que o seu rendimento mensal.

 

Gostou das nossas dicas de organização financeira? Conta para a gente nos comentários.

Ver completo...