Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta sexta-feira (10). A Polícia Civil do Rio de Janeiro afirmou que o líder do tráfico da Comunidade Castelar, em Belford Roxo, solicitou autorização para executar as crianças para o chefe da facção, ocultando o fato de que seriam crianças que iriam morrer.

De acordo com a polícia, após a morte dos meninos, Willer da Silva, o Estala, foi morto no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro, numa forma de queima de arquivo.“Os traficantes do Castelar mataram essas crianças autorizados pela cúpula da facção criminosa. O que a gente tem é que, quando pediu autorização para as chefias que estavam presas, do tráfico, para punir aquelas crianças, não foi falado que eram crianças”, disse o secretário de Polícia Civil, Allan Turnowski.

As crianças Lucas Matheus, Alexandre e Fernando Henrique desapareceram em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, em dezembro de 2020. De acordo com a polícia, a repercussão que o caso teve desagradou alguns integrantes da facção criminosa. A execução do traficante foi autorizada Wilton Quintanilha, o abelha, outro chefe da mesma facção que estava preso, diante da repercussão do caso e do avanço das investigações.

Da redação do Acontece na Bahia

 

Assuntos relacionados

Maitê Proença afirma que após romance com Adriana Calcanhotto ter sido noticiado sua intimidade foi exposta

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta quinta-feira (16). A atriz Maitê Proença comentou sobre o vazamento de informação sobre o romance que está vivendo com a cantora Adriana […]

Queda de aeronave em Piracicaba deixa 5 pessoas da mesma família entre as vítimas

Uma notícia triste tem sido divulgada nas redes sociais nesta terça-feira (14). A queda de uma aeronave de pequeno porte em Piracicaba, interior de São Paulo, na manhã desta terça-feira, […]