Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta sexta-feira (10). A Polícia Civil do Rio de Janeiro afirmou que o líder do tráfico da Comunidade Castelar, em Belford Roxo, solicitou autorização para executar as crianças para o chefe da facção, ocultando o fato de que seriam crianças que iriam morrer.

De acordo com a polícia, após a morte dos meninos, Willer da Silva, o Estala, foi morto no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro, numa forma de queima de arquivo.“Os traficantes do Castelar mataram essas crianças autorizados pela cúpula da facção criminosa. O que a gente tem é que, quando pediu autorização para as chefias que estavam presas, do tráfico, para punir aquelas crianças, não foi falado que eram crianças”, disse o secretário de Polícia Civil, Allan Turnowski.

As crianças Lucas Matheus, Alexandre e Fernando Henrique desapareceram em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, em dezembro de 2020. De acordo com a polícia, a repercussão que o caso teve desagradou alguns integrantes da facção criminosa. A execução do traficante foi autorizada Wilton Quintanilha, o abelha, outro chefe da mesma facção que estava preso, diante da repercussão do caso e do avanço das investigações.

Da redação do Acontece na Bahia

 

Assuntos relacionados

Jacaré é morto a tiros por policiais após dilacerar braço de bebê e atacar tio em lago de GO

Uma notícia tem gerado bastante repercussão nas redes sociais nesta segunda-feira (3) e surgiu após a declaração feita pela Polícia Militar de Goiás que afirmou que foi preciso matar a […]

São Gabriel: Acidente envolvendo uma moto e animal na rodovia tira a vida de enfermeira e deixa outra pessoa ferida

Uma triste notícia está circulando nas redes sociais nesta segunda-feira (3). Isto porque na noite desse sábado (1º) uma mulher morreu e outra ficou ferida em um grave acidente entre […]