Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste domingo (27). O caseiro preso pela polícia revelou detalhes de como o fugitivo Lázaro Barbosa, 32 anos, foi ajudado pelo dono da chácara a se esconder das buscas feitas pela força-tarefa, em Cocalzinho de Goiás. Informou ainda que viu o fugitivo diversas vezes na propriedade portando uma espingarda e usando um celular. A defesa do caseiro e do fazendeiro afirma que eles não ofereceram ajuda a Lázaro.

A polícia prendeu os dois acusados nessa quinta-feira (24), mas a justiça libertou o caseiro provisoriamente no dia posterior, após audiência de custódia. Segundo informou o advogado do caseiro, o seu cliente foi levado para outro local com o objetivo de protegê-lo, já que há o temor de que ele seja linchado. Já o advogado do dono da chácara informou que o seu cliente não conhece Lázaro e que o depoimento do caseiro é mentiroso.

O fugitivo Lázaro Barbosa está sendo procurado por uma força-tarefa composta por mais de 270 homens após cometer uma chacina em Ceilândia, DF, onde vitimou quatro pessoas da mesma família. As investigações apontam que o fugitivo tem se escondido na região de mata de Cocalzinho de Goiás e as buscas continuam com o intuito de encontrar o suspeito

O caseiro disse que Lázaro fazia as três refeições diárias na fazenda. Disse ainda em depoimento nessa quinta-feira (24), que notou a falta de leite na geladeira e a presença de copos sujos na pia sendo que o fazendeiro e ele não dormiam no local. O caseiro informou que ouvia o fazendeiro chamar por Lázaro quando estava no horário de almoço e percebeu que estavam sendo preparadas quantidades maiores de comida.

“Vem almoçar Lázaro”, gritava o fazendeiro em direção à mata, de acordo com o caseiro. Informou ainda que o patrão gritava em direção ao mato, antes de saírem:‘‘A porta vai ficar aberta’’, contou o caseiro afirmando que Lázaro estava dormindo na fazenda há pelo menos cinco dias.

De acordo com o caseiro, quando a polícia estava na região Lázaro se escondia em um depósito da chácara. Segundo ele, nesse depósito ficavam uma maquina de cortar grama e outros equipamentos. Quando os policiais chegaram na fazenda e prenderam os dois, Lázaro percebeu a presença dos agentes e se escondeu neste depósito, de acordo com o caseiro. Ainda de acordo com o caseiro, Lázaro estava no local e mandou que ele saísse da fazenda e não avisasse sobre sua presença ali sob ameaça de ser morto.

Segundo o caseiro, Lázaro dormiu na chácara entre os dias 18 e 23 de junho, e afirmou que nem o patrão e nem ele dormiam no local. Disse ainda que o fazendeiro deu ordens para que as portas ficassem destrancadas assim que os dois deixassem o local. Mas não é só isso…

O dono da chácara teria impedido a entrada dos agentes policiais do Comando de Operação de Divisas da Polícia Militar (COD), no dia 23 de junho. De acordo com a defesa do dono da fazenda, a proibição aconteceu por que segundo seu cliente os agentes deixam as portas abertas quando saem das localidades e isso ocasiona a fuga dos animais. Segundo o caseiro que trabalhava no local há 21 dias, houve a determinação do fazendeiro para que não deixasse a polícia entrar.

Em depoimento, um major do COD confirmou que a equipe não foi autorizada a entrar na fazenda e que também foi tratada com desrespeito pelo fazendeiro. O major contou ainda que o caseiro revelou uma relação próxima entre o fazendeiro e a família de Lázaro. O fazendeiro teria ajudado financeiramente a família de Lázaro quando o irmão do fugitivo morreu. A mãe e o tio de Lázaro já trabalharam para o fazendeiro naquela localidade.

Da redação do Acontece na Bahia

 

Assuntos relacionados

TSE pede investigação do STF sobre fake news ditas por Bolsonaro contra urnas eletrônicas

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta terça-feira (3). O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pediu em votação unânime que o Supremo Tribunal Federal (STF), investigue o presidente […]

DPE pede R$ 200 milhões em ação envolvendo morte de tio e sobrinho em supermercado

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta terça-feira (3). A ação movida contra a rede de supermercado Atakarejo pela Defensoria Pública Estadual (DPE), da Bahia, estabelece uma indenização de […]