Uma notícia tem circulado nas redes sociais nesta quinta-feira (24). Um evento promovido e organizado pela prefeitura de São Gonçalo dos Campos, cidade que fica localizada a 108 km de Salvador, terminou em confusão entre a direção e a Polícia Militar. Para a realização do evento que foi chamado de ‘Forró itinerante’, foi contratado um mini trio que circularia pelas ruas trazendo apresentações de artistas locais nos dias 22 a 26 de junho. Entretanto, a Polícia Militar impediu que o evento acontecesse.

De acordo com o prefeito local o mini trio tentou circular pelas ruas da cidade no dia 22 mas foi impedido pela Polícia Militar. No dia 23 houve nova tentativa de circulação do veículo, mas novamente foi barrado. Nesta quinta-feira (24), o motorista do mini trio foi colocado na viatura pelos policiais militares em razão de um decreto do governador que proíbe eventos juninos em todo o estado. Segundo informações o motorista ainda estava sem a carteira nacional de habilitação.

A população local se revoltou e quis impedir que o motorista fosse conduzido. O prefeito esteve no local e houve confusão envolvendo a população que queria a liberação do motorista. Com o reforço policial houve formação de barreiras e a guarnição pediu que veículos que faziam o bloqueio da rua fossem retirados do local, além de um outro que precisou ser guinchado. A Polícia Militar pediu que o prefeito fizesse a retirada de seu veículo do local e o pedido não foi acatado o que gerou a condução do chefe do executivo até a delegacia dentro de uma viatura. Na ocasião o advogado do prefeito também foi conduzido. Mas não é só isso…

O prefeito lamentou a atuação da PM na cidade: “Uma ilegalidade prender um cidadão trabalhando, é a mesma viatura que estava horas atrás fazendo nada. A maior autoridade daqui do município é o prefeito, venha o governador dizer por qual razão pode ter carro de som em Salvador, Senhor do Bonfim e aqui não pode”, desabafou o prefeito, em transmissão ao vivo por meio das redes sociais. Durante a confusão o prefeito colocou seu veículo no meio da rua e até sentou no chão para impedir a saída das viaturas da PM.

O argumento do prefeito foi que ano passado o mesmo evento tinha acontecido e que a administração local não é obrigada a acatar determinações estaduais uma vez que possuiu seus próprios decretos. Não obstante o decreto estadual proibindo qualquer festividade junina este ano, em razão do período da pandemia, há também uma orientação da Procuradoria Geral da Justiça nesse sentido.

Da redação do Acontece na Bahia

Assuntos relacionados

Cruz das Almas: homem é picado por cobra ao tentar beijar animal na boca e leva espécie consigo até a UPA

Uma notícia curiosa tem circulado nas redes sociais neste sábado (24). Um homem conhecido como ‘Tuca Seco’ foi picado por uma cobra ao tentar beijar o animal na boca, em […]

Ator Dudu Azevedo, o Jesus das novelas da Record, deixa a emissora e anuncia separação

Uma notícia tem circulado nas redes sociais nesta sexta-feira (23). O protagonista de ‘‘Jesus’’, na produção idealizada pela Record, Dudu Azevedo, anunciou o fim de seu casamento de cinco anos […]