Uma notícia deixou os internautas incrédulos nesta manhã de quinta-feira (6). Uma mulher, de 29 anos, matou seu namorado, o policial rodoviário federal Igor de Aquino, de 41 anos, com um tiro na cabeça após uma “brincadeira” com uma arma de fogo.

A mulher confessou à Policia que efetuou o disparo, porém, alegou que não sabia que a arma estava carregada.

Após o ocorrido, ela foi presa por homicídio qualificado por assumir o risco de matar.

Tudo isso ocorreu na madrugada da terça-feira (4) na cidade de Anápolis, a cerca de 55 km de Goiânia.

“Igor estava de folga em uma residência quando foi atingido por um disparo de arma de fogo. As circunstâncias estão sendo apuradas pela Polícia Civil de Anápolis e acompanhadas pela PRF”, afirmou a PRF em nota à imprensa.

A mulher, que é enfermeira, disse que o casal estava brincando com a arma, algo que era comum entre eles.

“Eles foram novamente fazer esse tipo de brincadeira. Segundo ela, não sabia que estava municiada e acabou baleando o namorado e o levando a óbito”, afirmou o delegado Wllysses Valentim em entrevista ao G1

A Polícia Civil continua as investigações e afirma que o resultado das perícias realizadas no local do crime será utilizado para finalizar o caso.

“A gente vai concluir em dez dias com o que a gente tiver, mas vai solicitar a dilação de prazo para robustecer o inquérito através de oitivas de parentes, amigos, colegas de trabalho e todas as pessoas que circundavam o relacionamento” finalizou.

Da redação Acontece na Bahia.

Assuntos relacionados

TSE pede investigação do STF sobre fake news ditas por Bolsonaro contra urnas eletrônicas

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta terça-feira (3). O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pediu em votação unânime que o Supremo Tribunal Federal (STF), investigue o presidente […]

DPE pede R$ 200 milhões em ação envolvendo morte de tio e sobrinho em supermercado

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta terça-feira (3). A ação movida contra a rede de supermercado Atakarejo pela Defensoria Pública Estadual (DPE), da Bahia, estabelece uma indenização de […]